UA-60948935-1

A vivência de uma nova cultura. | Mapa da Educação Internacional | MAPAei

4 outubro 2016
Comments  0

Mais do que somente aprender um novo idioma, viajar ou conhecer pessoas, a fase de intercâmbio é também uma oportunidade para viver uma nova cultura.

Você sabe o que é a cultura e como ela influencia o sucesso do seu intercâmbio?

O conceito de cultura é complexo e definido por diferentes abordagens e áreas do conhecimento. O tipo de cultura que falamos aqui não é o da pessoa “culta”, popularmente entendido por aquela pessoa que tem paixão e conhecimento por artes, teatro, ópera entre outros.

Aqui, os convido a entender o conceito de cultura como o conjunto de valores, atitudes, crenças e hábitos compartilhados por um grupo, os quais orientam grande parte do comportamento humano. Assim, alguns exemplos de expressões da cultura são a forma de ser, pensar e agir, o “jeitão” das pessoas de uma maneira coletiva.

Entretanto, como a cultura não é um conceito ou um elemento simples, Edward T. Hall afirma que  a cultura esconde muito mais do que revela.

O que isto significa na prática?

Alguns elementos da cultura são facilmente percebidos: comida,  música, roupa, dança, literatura, para nomear alguns.

Outros elementos, tão importantes quanto e que fazem a diferença nas relações interpessoais,  são mais complexos e exigem maior disposição e sensibilidade para percebê-los e compreendê-los: valores, comportamentos, crenças, regras sociais, forma de comunicação – tudo o que reflete o mindset de um grupo.

A cultura é tão espontânea para nós que podemos compará-la com a naturalidade da água para os peixes. Nos sentimos confortáveis e nadamos com certa tranquilidade em nosso ambiente, considerado normal. Por ser parte integrante do nosso cotidiano, aqui a cultura torna-se, por diversas vezes, imperceptível no nosso dia a dia .

Em uma experiência de intercâmbio, quando estamos em um outro ambiente, estranho àquele que estamos adaptados e que nadamos com facilidade, sentimos as diferenças culturais.

Nesta fase temos um sentimento de peixe fora d’água ! É a sensação causada pela mudança de ambiente que nos faz sair da zona de conforto.

peixe2

Assim, cabe um alerta: a cultura na fase de intercâmbio, se ignorada, pode te levar da fascinação a frustração!

É necessário compreender que o elemento cultural também faz parte da sua experiência.

Saber lidar com diferentes formas de pensar, agir e se relacionar será necessário e requer novas habilidades para ter sucesso no seu intercâmbio e conseguir nadar em águas diferentes.

Mas como lidar com esta nova cultura e obter o melhor do meu intercâmbio?

A boa notícia é que nós, seres humanos, somos incríveis, possuímos uma capacidade de adaptação e quanto mais entendemos sobre a complexidade da cultura, mais fácil tornam-se os encontros interculturais.

Desenvolver novas habilidades e competências para se adaptar a um novo ambiente faz parte de um processo. Algumas ações podem te auxiliar no início desta jornada:

* Buscar informações: pesquise e se informe sobre o novo país e a nova cultura. Conhecer a história, geografia, política e tradições é um ponto de partida;

* Observar: este é um dos esportes mais indicados para praticar, principalmente na chegada em um novo país. Observar e perceber comportamentos: como as pessoas se comunicam, como se vestem, como se cumprimentam é uma maneira de conhecer um pouco mais da cultura local;

* Cuidado com as comparações: não há cultura melhor ou pior, mas sim diferentes. Comparar apenas é positivo quando este te levar a uma postura mais aberta e flexível ao invés de classificar qual é a melhor;

* O que é válido aqui, pode não ser válido lá! Senso comum não é um conceito válido universalmente. Lembre-se que diferentes culturas tem diferentes percepções.

O fato de apenas estar fisicamente em um outro país, em um determinado período de tempo, não significa vivenciar uma experiência intercultural, de troca, aprendizados e sucesso.
Adaptar-se ao estilo que difere do que se está acostumado requer consciência de si, do outro e disponibilidade interna para mudar. Exige ainda construir novas estratégias, formas de ver o mundo, e respeito por aquilo que é diferente.

E VOCÊ, está se preparando para nadar em diferentes águas?
Karen Góes- FotoKaren Goes é Psicóloga com atuação em capacitação Intercultural e de Gestão de Pessoas, Coordenadora de treinamento intercultural para imigrantes e refugiados pela SIETAR e responsável pelo serviço de Orientação Intercultural da MAPAei.

 

 

 

Comments are closed.